O preconceito e blindagem teórica darwinista

picaretas

Na cidade de Altenberg, Aústria, um grupo de 18 biólogos proeminentes se reuniram para discutir problemas enfrentados pelo Neo-Darwinismo [1]. Dessa reunião, surgiu o livro “Evolução: A Síntese Extendida” (tradução livre).

Estes cientistas rejeitam a Teoria do Design Inteligente, porém questionam a habilidade e poder da seleção natural e mutações aleatórias em gerar a diversidade biológica. Isto é, o mesmo questionamento que inteligentistas fazem já há um certo tempo.

Recentemente a bióloga e membro da Academia Nacional de Ciências (EUA), Lynn Margulis, disse que : “ novas mutações não criam novas espécies; elas criam descendentes que são prejudicados”. Pois, mais de 950 cientistas com PhD assinaram um documento de dissidência científica do Darwinismo [2]. Eles publicamente afirmam que são “céticos das alegações do poder das mutações aleatórias e seleção natural para explicar a complexidade da vida”.

Assim, antes de darwinistas nos chamarem de “pseudocientistas”, “imbecis”, “negacionistas”, “picaretas” e coisas do tipo; seria interessante eles adquirirem conhecimento do problema levantado. Além disso, passarem a ser autodidatas, visto que tais problemas tipicamente não são discutidos nos meios acadêmicos com a finalidade de blindagem teórica do Neo-Darwinismo.

[1] http://www.discovery.org/a/20141
[2] http://inteligentista.com/dissidencia-cientifica-do-darwin…/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *